9 de novembro de 2015

Cadeiras de rodas - acessos

Imagem de girl, art, and drawing
É impressionante como é difícil andar de cadeira de rodas pela cidade. Ultimamente, quando eu e os meus pais vamos dar uma volta com os meus avós, temos de levar sempre a cadeira para o meu avô (coisas da vida) e pode não parecer, mas mesmo com uma pessoa a empurrar é bem difícil.
Domingo fomos ao Porto, até porque o meu avô sempre gostou de ir lá, logo fomos. Como sabemos as ruas são estreitas e íngremes, mas mesmo nas praças é complicado. Para explicar melhor, as rampas nas passadeiras estão super mal feitas. Por acaso não tirei nenhuma fotografia, mas devem reparar que ou não existem, ou não são bem rampas, mas um passeio mais baixo que é extremamente difícil de subir. Ainda por cima quando os semáforos não esperam. Noutras vezes a rampa era tão íngreme que precisávamos de uma força enorme para conseguir fazer a cadeira passar. E pensem bem nisto, eu empurrei a cadeira de rodas, mas e quem vai sozinho? Como é que consegue fazer estas coisas? Eu não sei se vocês já alguma vez utilizaram uma, mas uma vez no hospital tive de usar e cansa imenso, agora imaginem subir passeios.
Provavelmente durante o vosso dia-a-dia nem sequer reparam em tais pormenores, mas tudo o que estou a ‘’dizer’’ faz uma grande diferença. O que me partiu toda foi o parque de estacionamento nos Poveiros. Vejam só a inteligência. Há dois elevadores. Um deles não vai á superfície (não faço a mínima ideia do porquê), e o único que vai só se consegue alcançar se descermos escadas. Realmente faz muito sentido.
Por vezes nem é preciso ir ao Porto para vermos estes erros, basta dar uma olhada na nossa própria cidade. Basta os passeios terem aquelas pedras (calçada) que se faltarem algumas e for estreito, ser difícil de desviar. Nem menciono a grande probabilidade de uma roda ficar presa.
Por isso, pedia aos presidentes de câmara ou coisa parecida que fizessem realmente acessos de jeito, porque qualquer dia uma pessoa tem de andar no meio da rua e acho isso ridículo.

3 comentários:

  1. Ridículo... é nestas alturas que damos atenção às coisas que até ao momento nos pareciam insignificantes!

    ResponderEliminar
  2. Estes erros não se veem só no Porto ou nas grandes cidades, infelizmente veem-se em todo o lado :/

    ResponderEliminar
  3. É ridículo como se gasta dinheiro em tanta coisa mas se continua a ignorar o que realmente importa.

    ResponderEliminar

Elimino comentários ofensivos.