18 de maio de 2014

Que saudades que eu já tinha do Norte!

Olá!
Sexta-feira tive uma visita de estudo a Lisboa, mais concretamente ao Mosteiro dos Jerónimos e ao Parque dos Poetas, em Oeiras.
Lá tivemos de acordar muito cedo, para estar na escola às 6.30. Mas que tortura! Contudo, como era para ir passear, a gente acorda de bom grado e se for necessário dorme-se na camioneta. E foi o que eu fiz…
Quando chegámos a Lisboa fomos ao Mosteiro. Falo por mim, quando digo que tentei reparar em todos os detalhes possíveis não vá ter uma ficha sobre a visita. Adorei os vitrais da Igreja Santa Maria Belém (acho que é assim que se chama). Depois fomos almoçar, que é a melhor parte.
Após o convívio e alguns momentos de descanso fomos a Oeiras, ao Parque dos Poetas. Aquilo até era engraçado, só que estava tanto calor e eu tinha tanta sede (deixei a água na camioneta) que já estava aborrecida. Parecíamos zombies… E ainda por cima, tínhamos de tirar apontamentos sobre os poetas, porque vamos fazer um trabalho em português e outro em literatura. E SÃO 20 POETAS!!! O tormento não tinha fim.
Quando voltámos para a camioneta bebemos até não podermos mais.
Estávamos a sair de Lisboa, quando o motorista parou a maquineta. Nós não fazíamos a mínima ideia do porquê da pausa, mas também não interessava. Aquilo prolongou-se até descobrirmos que tinha pifado. Mas que alegria…
Ora o nosso lindo ar condicionado parou e ficámos ali, dentro da sauna durante um bom tempo. Estava calor lá fora, mas lá dentro estava infernal. E mais uma vez não tínhamos muitos líquidos connosco, porque estavam na mala. Não havia janelas para abrir e as portas estavam abertas, mas não fazia diferença para os que estavam na ‘’cozinha’’. Começou-se a fazer grupos de 2/3 pessoas para irem à vez para perto das portas.
Não podíamos sair porque estávamos na autoestrada e era perigoso, por isso ficámos à espera do carro da assistência que passado algum tempo chegou. Depois disso veio a polícia e já pudemos sair, no entanto estivemos cerca de uma hora lá dentro. Estivemos há espera, e há espera, e há espera… as pessoas queriam ir á casa de banho… começaram a subir o monte, porque não aguentavam mais. Para passar o tempo começamos a comer xD e a falar… Passou mais uma hora. Disseram que vinha uma camioneta de substituição e ela nunca mais chegou. Começou a ficar escuro e as pessoas já estavam saturadas daquilo tudo. Sempre que passava um camião ou isso, ficávamos com a esperança de que tinha finalmente chegado e nada. Conclusão desde que paramos até voltarmos a andar foram umas 3 horas de pura diversão. As outras camionetas já tinham chegado à escola.
Finalmente a camioneta chegou e voltámos para casa. Pelo caminho muitos adormeceram porque já era tarde. Outros sempre que viam uma placa a dizer Porto festejavam. E foi assim que chegámos a casa à 1.30.

As videntes de Belém bem disseram a algumas colegas que algo ia acontecer. Muahahahaha xD
Agora temos uma história para contar!

7 comentários:

  1. Sempre gostei de visitas de estudo, mas da obrigatoriedade de implicar um trabalho, porque acabamos por não desfrutar em condições. Bem sei que não é uma viagem de lazer, mas acabamos por não compreender bem o porquê de determinadas coisas porque estamos mais preocupados em anotar tudo para que depois não falte nada no trabalho e nem paramos para tomar consciência da informação que nos dão.
    Estar tanto tempo à espera satura. Acho que a única coisa positiva é mesmo ter mais uma história para contar :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao menos deu para nos conhecermos melhor... já não é mau.

      Eliminar
  2. Tanta espera, coitados de vocês!
    r: Ohh, obrigada!! :)

    ResponderEliminar
  3. ahah isso sim é história.. E eu na sexta sai de Lisboa para ir ao Porto xD trocamos

    ResponderEliminar
  4. Tanto tempo de espera? Odeio esses momentos mortos

    ResponderEliminar

Elimino comentários ofensivos.